terça-feira, 27 de maio de 2008

Para H. Dobal

Céu dos Poetas

Céu dos Poetas
fim-de-tarde
sem ocaso.
Lua prateadíssima
sem crescentes
nem minguantes.
Cigarras sibilantes
anunciam as tardes
sem fim.
Âmbar é a cor
que a tudo cobre.
Assim se descobre,
num animado jogral

Drummond, Bandeira,
Quintana e Dobal.



Paulo Moura
Teresina, 27/05/2008